A pneumologista pondera que a desigualdade brasileira não dá a todos a mesma chance de prevenir a doença. Chama atenção especialmente para a população das favelas, onde as pessoas vivem aglomeradas, sem acesso a saneamento básico e sem as mesmas condições de frear o contágio. Dalcomo defende um distanciamento social mais severo nas próximas semanas como medida fundamental para que o Sistema Único de Saúde (SUS), que atende a maior parte da população, consiga ampliar seus leitos de UTI. ?O problema é se vai dar tempo de tudo isso estar operando nos próximos 30 dias, período em que a epidemia só vai crescer?, diz. Até este domingo, 12 de abril, o Brasil somava 22.169 pessoas infectadas ?o dobro do registrado há uma semana?, e 1.223 mortes por Covid-19. Anônimo

Nossa

1 mes atrás.





Quer perguntar ou ver mais respostas de ame?


Clique e acesse agora:
http://mepergunte.com/ame



ame