Me pergunte




Obrigado!

A sua pergunta foi enviada com sucesso.

Deseja fazer outra pergunta? Sim!

Se voce deseja criar um site como este para voce?
Deseja enviar perguntas assinadas? Cadastre-se grátis.



gente to apaixonada, tu é lindinho demais, vontade de mimar o tempo todo... Anônimo

Seus olhos que eu nem estou vendo que sao lindos, flor kkk

23 horas atrás.


Vamos transar, vem? Anônimo

Ta achando que é quem pra me intimar assim kkkkkkkkk

23 horas atrás.


chupo cu Anônimo

Aee boca de pelo

23 horas atrás.


https://revistaglamour.globo.com/Amor-Sexo/noticia/2017/05/kama-sutra-9-posicoes-sexuais-prazerosas-que-levam-ao-orgasmo-imediatamente.html Anônimo

Nu

13 dias atrás.


Boatos produzem mentes ignorantes que, ao invés de estudarem e consultarem fontes confiáveis, simplesmente, por preguiça, engolem sem questionar qualquer informação requentada. Chegam até fazerem cara de intelectuais para abrirem o bocão e falarem um monte de besteiras... Na real, ultimamente, falar besteira passou a ser um sinal de status nas redes sociais...

O que constatamos é o resultado de um condicionamento colocado sobre as costas de nossos jovens por muitos anos, treinando-os simplesmente para armazenarem informações a fim de fazerem provas, quantificando e avaliando de forma superficial os resultados para elegerem os que serão capazes de seguirem adiante para o próximo nível de condicionamento e retendo os que não foram capazes de se adequarem a este padrão estabelecido...

Este modelo faz com que muitos acabem apenas treinando o seu cérebro para armazenarem informações por algum tempo, ao invés de aprenderem a pensar, conectarem dados através da ponte do nexo e de terem um comportamento analítico e criativo. Ele também exclui de forma cruel os que não se encaixam, o que os faz se sentirem incapazes, culpados e fracassados.

Assim, testemunhamos o surgimento de uma legião de papagaios que repetem tudo que vêem pela frente, porém completamente sem iniciativa, cheios de diplomas pendurados, mas, na hora de escreverem, utilizam um português pífio que chega a me dar vergonha alheia.

A esta altura vc deve estar se perguntando porque eu estou tão irritado. Bem, eu não estou irritado, mas confesso que ver este desperdício em massa da inteligência humana me deixa perplexo e questionando o que mais eu poderia fazer para dar um choque de realidade nessa manada de jovens que, mesmo de tanto lerem o que eu escrevo, continuam insensíveis a conquistarem uma vida melhor, crendo que o mundo é realmente do jeito que lhe apresentaram...

Estudar não se resume a fazer uma faculdade e nem frequentar um cada vez mais corriqueiro MBA. Estudar é muito mais do que algo formal imposto por um sistema engessado e retrógrado. O aprender mais profundo começa quando este processo é resultado de uma iniciativa de livre e espontânea vontade. Somente assim é possível ter acesso a um potencial fantástico que antes estava escondido e enterrado por debaixo de tanta decoreba sem propósito.

Aprender é dar asas a sua curiosidade a fim de encontrar respostas de problemas reais de seu interesse e não uma busca sem fim por respostas prontas para simulações de um mundo imaginário proposto artificialmente pelas abordagens metodológicas impostas pelo sistema.

Quem se descobre através dessa busca de respostas que não são encontradas dentro das salas de aula padronizadas, acaba encontrando o que queria dentro de sua própria inquietude que, hoje em dia alguns chamam de ADHD e de outras patologias modernas que para as quais já arrumaram até alguns remedinhos de tarja preta bem legais, o que já colocou o Brasil em segundo lugar no consumo dessas chamadas droga$ da obediência, no cenário mundial.

Mas é justamente essa inquietude indomável que pode se transformar numa fagulha de esperança para que este indivíduo não seja enjaulado dentro desse esquema e que no futuro ele tenha mais chances de pensar fora da caixinha e conquistar resultados acima da média frequentemente atingida pelos padronizados.

Na educação de meus filhos 11 e 13 anos por exemplo, falar pelo menos 4 idiomas fluentemente, saber escrever bem em todos eles, ter um raciocínio lógico e pragmático, além de uma visão por diversos ângulos da história da humanidade, trafegando pela sociologia e a filosofia para que de forma prática desemboque numa consciência inteligível da macro economia, tudo isso aliado a muito esporte, convivência com amigos, muita diversão e uma consciência treinada para sempre acreditarem que são capazes de conquistar o que quiserem, aliado a uma dose de coaching para produzir um quociente satisfatório de inteligência emocional, é o meu foco principal que me fez apostar numa educação diferente da convencional. O a que este indivíduo não seja enjaulado dentro desse esquema e que no futuro ele tenha mais chances de pensar fora da caixinha e conquistar resultados acima da média frequentemente atingida pelos padronizados.

Na educação de meus filhos 11 e 13 anos por exemplo, falar pelo menos 4 idiomas fluentemente, saber escrever bem em todos eles, ter um raciocínio lógico e pragmático, além de uma visão por diversos ângulos da história da humanidade, trafegando pela sociologia e a filosofia para que de forma prática desemboque numa consciência inteligível da macro economia, tudo isso aliado a muito esporte, convivência com amigos, muita diversão e uma consciência treinada para sempre acreditarem que são capazes de conquistar o que quiserem, aliado a uma dose de coaching para produzir um quociente satisfatório de inteligência emocional, é o meu foco principal que me fez apostar numa educação diferente da convencional. O motivo é muito simples: A escola convencional não oferece isso e as vezes oference o contrário... Por isso, decidi eu mesmo regular a educação que escolhi para eles. Como moro fora do Brasil, sou beneficiado por uma legislação mais flexível, alé Anônimo

Quanto bla bla

13 dias atrás.


Maurício. F possui o total de 104 perguntas respondidas.

Maurício. F